16 de nov de 2010

O presidente Lula e a presidente eleita, Dilma Rousseff, defendem o mínimo de R$ 550, como a Folha informou no último sábado. O relator do orçamento a

O governo federal elevou a projeção para o crescimento econômico deste ano de 6,5% para 7,5%. O dado foi divulgado pelo ministro Paulo Bernardo (Planejamento), em audiência na Comissão Mista de Orçamento, nesta terça-feira.

Durante a exposição, Bernardo apontou ainda uma redução na projeção do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) de 2010, de 5,5% para 5,3%. Com isso, a projeção do valor do salário mínimo caiu de R$ 538,15 para R$ 536,88.

O reajuste do mínimo é calculado pela variação do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes mais o INPC acumulado desde o reajuste anterior. De toda forma, o titular do Planejamento já fez a proposta de arredondar o valor para R$ 540, e afirmou que valores acima disso dependeriam de uma decisão política.

No Congresso, centrais sindicais pressionam por um mínimo de R$ 580, enquanto a oposição defende o valor de R$ 600, uma das bandeiras do candidato derrotado à presidência José Serra (PSDB).

Como a Folha noticiou no último sábado, o presidente Lula e a presidente eleita Dilma Rousseff querem fixar em no máximo R$ 550 o valor do mínimo no próximo ano.

Segundo o boletim Focus divulgado pelo Banco Central nesta terça-feira, a projeção do mercado para o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) continua em 7,60% neste ano e em 4,50% em 2011.

Nenhum comentário: