15 de jun de 2008

Essas Coisas


Você não está mais na idade de sofrer
por essas coisas".

Há então a idade de sofrer e a de não sofrer
mais por essas coisas?

As coisas só deviam acontecer para fazer
sofrer na idade própria de sofrer?

Ou não se devia sofrer pelas coisas
que causam sofrimento pois vieram
fora de hora, e a hora é calma?

E se não estou mais na idade de sofrer
é porque estou morto, e morto é a idade
de não sentir as coisas, essas coisas?

Carlos Drummond de Andrade

Viver


Viver...

Mentes preenchidas…

Almas sonhadoras…

Vamos vivendo o dia a dia alimentando-nos de sonhos, projectos, ideias, vontades, … que reformulamos a cada dia que passa… que alteramos, repensamos, desistimos, recomeçamos do zero…

E demasiado ocupados com o nosso pequeno mundo, com as nossas coisas, não nos apercebemos que à nossa volta, enquanto sonhamos e planeamos, milhares de coisas acontecem… e simplesmente… não tomámos atenção…

Subitamente, há uma vontade enorme de se fazer tudo aquilo que se foi adiando ao longo dos anos, porque se pôs para segundo plano em consequência de termos construído um pedestal para os nossos projectos pensados e repensados…

De um momento para o outro temos vontade de estar com aqueles amigos de sempre, com quem fomos adiando encontrar-nos porque estávamos demasiado ocupados com os novos “amigos” que faziam parte dos nossos projectos…


Sem avisar, chega um momento em que temos vontade de ver todos aqueles filmes que gostávamos de ter visto mas que deixámos de ver por termos dado mais importância a… já nem nos lembramos a quê!

Temos vontade de passear, de conhecer todos os sítios, todos os lugares que algum dia achámos bonitos…

Temos vontade de dizer a toda a gente que estamos bem, porque estamos vivos, hoje, e não queremos conflitos, intrigas, discussões… não valem a pena!!!

Temos vontade de dançar, de nos divertirmos, de rir, de sorrir… e vontade de nos aplicar naquilo que são os nossos papéis…

Desejamos não ter que dormir para poder viver mais!

E tudo isto como um furacão! Queremos tudo isto ao mesmo tempo! Queremos viver! Ao máximo! Cada segundo, cada milésimo de segundo das nossas vidas! O tempo não pára, e não queremos desperdiçar nem um momento!

E percebemos que algo em nós mudou… a nossa maneira de olhar a vida… de a agarrar… a intensidade com que vamos vivendo todos os momentos por que passamos… o desejo de quebrar todas as rotinas das nossas vidas… a necessidade de amar… de amar da forma mais pura e com mais garra toda a nossa existência, todo o decorrer da nossa caminhada, todas as pessoas que realmente contam… que estão no coração…

E vemos que já não somos tanto aquelas crianças inconscientes que tudo querem e que permanentemente fazem planos para conseguirem o que querem…

Temos essas crianças em nós, mas agora pela pureza do amor que dedicamos a cada segundo do nosso dia, tal como ele acontece… É uma forma pura de amar porque deixamos de exigir… e já não choramos se esse segundo não aconteceu como nós tínhamos pensado e como nós queríamos que acontecesse…

Porque vem o medo…

Medo de que a vida esteja a passar por nós… e nós estejamos sentados… confortáveis… a vê-la passar… sem a vermos realmente – sem contemplarmos a sua beleza e o seu valor… e pior…

Sem a vivermos!

Por isso amigos VIVAM cada segundo das vossas vidas com um sorriso nos lábios!!!

12 de jun de 2008

Com os Braços bem Abertos - (Creed)


Bem, eu acabei de ouvir as novidades hoje
Parece que minha vida vai mudar
Eu fechei meus olhos, começo a rezar
Então lágrimas de alegria escorrem pelo meu rosto

Com os braços bem abertos
Sob a luz do sol
Bem vindo a este lugar
Eu te mostrarei tudo
Com os braços bem abertos

Bem, eu não sei se estou preparado
Para ser o homem que eu tenho que ser
Eu tomarei fôlego, colocarei ela ao meu lado
Nós ficamos com espanto, nós criamos vida

Com os braços bem abertos
Sob a luz do sol
Bem vindo a este lugar
Eu te mostrarei tudo
Com os braços bem abertos

Agora tudo mudou
Eu te mostrarei amor
Eu te mostrarei tudo
Com os braços bem abertos

Se eu tivesse apenas um desejo
Apenas uma exigência
Eu espero que ele não seja como eu
Eu espero que ele entenda
Que ele pode levar esta vida
E dominá-la com a mão
E ele pode saudar o mundo
Com os braços bem abertos

Pra Você Debora


Tanto tempo longe
Tanto tempo sem se ver
Eu sei faz doer
Tantas noites longas
Sem carinho e sem prazer
Eu sei faz doer
Mas não fique triste amor
Eu logo vou voltar
E todo o meu coração te entregar
A distância não irá
Nossas vidas separar
Pois você me quer
E eu te quero também
Não importa aonde eu estiver
Pode vir o que vier
Nada vai destruir
Esse amor que já criou raiz
Vou seguir viagem
Com o coração querendo mais, de você
Levo na bagagem
Os momentos lindos entre eu e você
Mas não fique triste amor
Eu logo vou voltar
E todo meu coração te entregar...

O Que Eu Também Não Entendo - Jota Quest


“Essa não é mais uma carta de amor
São pensamentos soltos traduzidos em palavras
Pra que você possa entender
O que eu também não entendo

Amar não é ter que ter sempre certeza
É aceitar que ninguém é perfeito pra ninguém
É poder ser você mesmo e não precisar fingir
É tentar esquecer e não conseguir fugir, fugir

Já pensei em te largar
Já olhei tantas vezes pro lado
Mas quando penso em alguém é por você que fecho os olhos
Sei que nunca fui perfeito mas com você eu posso ser
Até eu mesmo que você vai entender

Posso brincar de descobrir desenho em nuvens
Posso contar meus pesadelos e até minhas coisas fúteis
Posso tirar a tua roupa
Posso fazer o que eu quiser
Posso perder o juízo
Mas com você eu tô tranquilo, tranquilo

Agora o que vamos fazer, eu também não sei
Afinal, será que amar é mesmo tudo?
Se isso não é amor, o que mais pode ser?
Estou aprendendo também

Já pensei em te largar
Já olhei tantas vezes pro lado
Mas quando penso em alguém é por você que fecho os olhos
Sei que nunca fui perfeito mas com você eu posso ser
Até eu mesmo que você vai entender

Posso brincar de descobrir desenho em nuvens
Posso contar meus pesadelos e até minhas coisas fúteis
Posso tirar a tua roupa
Posso fazer o que eu quiser
Posso perder o juízo
Mas com você eu tô tranquilo, tranquilo

Agora o que vamos fazer, eu também não sei
Afinal, será que amar é mesmo tudo?
Se isso não é amor, o que mais pode ser?
Estou aprendendo também”