30 de set de 2010

Flávio Dino: Roseana se sustenta em Lula, mas PT me apoia

image


O arranjo eleitoral do PT é um desafio ao entendimento do eleitor no Maranhão. Em votação, o diretório local do partido decidiu apoiar a candidatura de Flávio Dino, do velho aliado PCdoB. A direção nacional petista interveio e forçou a coligação com o PMDB dos Sarney, antigos rivais, obedecendo a costura da chapa presidencial. No horário eleitoral, o PT está atrelado à governadora Roseana Sarney, mas líderes petistas de outros Estados fazem propaganda para o pecebista. Nas ruas, o PT também se associa ao PCdoB.
Ou seja, partidos concorrentes estão unidos como sempre; e os coligados, na prática, são adversários, como sempre. Difícil de compreender? Dino explica:
- Os petistas todos do Maranhão fazem campanha para mim, não tem ninguém do PT fazendo campanha para ela (Roseana). Aconteceu aqui uma decisão de cima para baixo que não refletiu o sentimento dominante no partido. Então, hoje não há dúvida para a população de que o candidato do PT sou eu. O PT é um partido identificado com lutas sociais, movimento sindical, movimento popular, igrejas. Como é que o PT, de repente, vai defender a continuidade da oligarquia, né? É uma coisa tão artificial, que não funciona.
Porém, a arquitetura eleitoral não se resume a isso. O presidente da República pede votos para o PMDB. E, na opinião do candidato do PCdoB, é nisso que se sustenta a governadora. "É como se o Lula fosse um balão de oxigênio da candidatura dela, que está na UTI", ilustra o deputado federal, entrevistado por Terra Magazine.
Apesar de pesquisas de intenção de voto apontarem a liderança de Roseana, ele se anima com seu crescimento e a perspectiva de segundo turno.
- Há uma mobilização em torno da ideia da mudança política do Maranhão, uma vez que aqui existe um domínio do mesmo grupo, faz praticamente 50 anos. Este diagnóstico tem impulsionado nossa candidatura. Esse domínio resultou nos piores indicadores sociais do Brasil - afirma Dino.
Ele recorre à alternância de poder na região para apontar a necessidade de a oposição vencer as eleições na sua terra. "A Bahia, o Ceará, o Piauí, Pernambuco, os Estados do Nordeste todo fizeram mudanças na política. O Maranhão é o único que permanece preso ainda ao esquema político da ditadura militar", avalia. "Uma das explicações é a força do Sarney na política nacional. Sempre usou muito bem a política nacional para manter o seu domínio sobre o Maranhão".
Confira a entrevista.
Terra Magazine - Como o senhor avalia este final de campanha e seu crescimento nas pesquisas de intenção de voto?
Flávio Dino - Estamos exatamente nesta fase da campanha, de grande crescimento, porque há uma mobilização em torno da ideia da mudança política do Maranhão, uma vez que aqui existe um domínio do mesmo grupo político, faz praticamente 50 anos. Este diagnóstico tem impulsionado nossa candidatura. Esse domínio resultou nos piores indicadores sociais do Brasil. Na medida em que se afirma esta verdade, nossa candidatura, que é mais identificada com a mudança, cresce. Então, há um clima de muito entusiasmo neste momento em todo o Estado com a nossa ida ao segundo turno.
Jackson Lago (candidato do PDT) afirmou que é praticamente inevitável uma aliança entre suas candidaturas para o segundo turno, quem quer que seja o adversário de Roseana Sarney (DEM).
Eu e ele somos representantes do campo da mudança. E ela representa a continuidade. Então, a tendência naturalmente é que haja essa união no segundo turno.
A governadora é criticada por não apresentar o sobrenome na sua campanha eleitoral.
Ela tem essa tática de zerar o relógio da história. Tanto que, quando ela voltou ao governo, o lema dela era "Nova governo do Maranhão, ano 1". É uma tentativa de fazer o passado ser esquecido e colocar, no seu lugar, promessas de futuro. O que a gente tem indagado é: "Bom, se existem tantas promessas de um futuro radiante, por que elas não se realizaram antes, na medida em que eles já vêm de tanto tempo, e ela própria governou por 10 anos?". Teve tempo suficiente para reverter esses indicadores sociais. Exatamente por isso ela não só esconde o sobrenome como esconde o presidente Sarney, né? Até hoje ele não apareceu (na propaganda eleitoral dela) na TV, no rádio, nada, é como se ele não tivesse nada a ver com a campanha dela.
A alegação é que ele está filiado ao PMDB do Amapá.
O argumento não tem nenhum sentido, nem político nem jurídico. Até porque ele está no Amapá por uma contingência. Ele é um político do Maranhão, todo mundo sabe disso. Na verdade, trata-se de tentar esconder o passado. Porque ele sabe que o legado desse passado é uma herança maldita.
Há quem compare a atual situação com a de 2006, quando a governadora tinha um patamar de liderança e acabou derrotada no segundo turno. O senhor também vê semelhanças?
A tendência é essa, que haja um segundo turno bastante similar. Porque este é um sentimento da sociedade, algo que transcende a política. Na verdade, tendo concluído a visita a praticamente todos os municípios do Maranhão, em todos eles há este sentimento de "chega", de "basta", de virada de página, que sustenta a candidatura e, portanto, projeta um segundo turno parecido (ao das eleições anteriores).
O senhor soube da entrevista em que Caetano Veloso mencionou, para uma rádio de sua cidade, Santo Amaro, no interior da Bahia, seu crescimento nas pesquisas eleitorais?
Não vi isso aí. A Bahia, de um modo geral, é até um exemplo sempre citado aqui. Não só a Bahia, mas o Ceará, o Piauí, Pernambuco, os Estados do Nordeste todo fizeram mudanças na política. O Maranhão é o único que permanece preso ainda ao esquema político da ditadura militar.
Qual a explicação para isso?
Acho que especialmente uma das explicações é a força do Sarney na política nacional. Quer dizer, sempre usou muito bem a política nacional para manter o seu domínio sobre o Maranhão.
Se bem que o grupo dele foi derrotado nas eleições para governador em 2006. Mas acabou voltando ao poder por decisão da Justiça (que cassou o governador Lago e conduziu Roseana a novo mandato).
É, pelo tribunal, o que confirma minha tese, né? Que sua força nacional sempre sustentou seu domínio. Agora mesmo, se o Lula não estivesse pedindo voto para Roseana, se estivesse pedindo voto para mim... Ela sustenta os percentuais (de voto) dela por conta disso. É como se o Lula fosse um balão de oxigênio da candidatura dela, que está na UTI.
Que sentimento ficou da aliança com o PT que havia sido aprovada no Estado e acabou desfeita por intervenção da direção nacional? Até porque o senhor considera justamente este apoio petista como o impulso da candidatura dela.
Na verdade, é o Lula. Porque o PT está com a gente. Os petistas todos do Maranhão fazem campanha para mim, não tem ninguém do PT fazendo campanha para ela. Aconteceu aqui uma decisão de cima para baixo que não refletiu o sentimento dominante no partido. Então, hoje não há dúvida para a população de que o candidato do PT sou eu. O PT é um partido identificado com lutas sociais, movimento sindical, movimento popular, igrejas. Como é que o PT, de repente, vai defender a continuidade da oligarquia, né? É uma coisa tão artificial, que não funciona.
Esse apoio de petistas ao senhor é oficial, com depoimentos gravados ou acontece nas ruas e nos palanques?
Na rua. Nós colocamos na TV (depoimento de) ministros, deputados e senadores que são do PT (e apoiam a candidatura do PCdoB). O PT local foi obrigado a coligar (com o PMDB) e não tem aparecido no meu horário de televisão, mas tem aparecido nos palanques, nos comícios, nas passeatas, tudo.

Fonte: Eliano Jorge - Portal Terra

Dilma e Serra intensificam esforços para afastar boatos

Para evitar prejuízos à imagem nos últimos dias antes das eleições, equipes de campanha de Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) intensificaram os esforços para desmentir boatos e denúncias falsas que circulam na internet. E-mails que ligam candidatos a temas polêmicos, como aborto e privatizações, são os principais alvos dos candidatos - que também usam sites e redes sociais para tentar divulgar as informações corretas. A avaliação é de que é preciso agir rapidamente, antes que os eleitores cheguem às urnas, para evitar que os boatos se espalhem e sejam tomados como fatos.

Até o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi convocado para rebater a onda de boatos contra Dilma. Em uma gravação que começou a ser exibida na TV e está no site da candidata petista, o presidente defende a ex-ministra e lembra que sofreu com campanhas negativas quando disputou as eleições. "Estou vendo acontecer com a Dilma o que aconteceu comigo no passado, quando pessoas saíam do submundo da política mentindo a meu respeito", diz Lula.

O sinal de alerta na equipe petista foi aceso por uma enxurrada de e-mails e artigos em blogs que afirmavam que Dilma seria favorável ao aborto e que teria declarado que "nem Jesus Cristo" impediria sua vitória no primeiro turno. Hoje, diante de líderes religiosos, a candidata precisou reforçar sua postura "em defesa da vida" e esclarecer que as mensagens são apenas de boatos.

Na candidatura do PSDB à Presidência, o próprio José Serra fez questão de esclarecer afirmações polêmicas sobre seu programa de governo. Na internet, o tucano tenta se descolar do que chama de "mentiras" que circulam pelas redes sociais - como supostos projetos de privatização da Petrobras e o fim do Bolsa-Família, da Zona Franca de Manaus e dos concursos públicos.

"Há uma máquina de mentiras a meu respeito, trabalhando em tempo integral", escreveu o candidato, ontem, na rede de microblogs Twitter. "Eu não vou privatizar a Petrobras, isso é terrorismo do PT", acusou.
(Estadão)

Fonte: Jornal Pequeno

14 de set de 2010

Avaliação positiva do governo Lula atinge novo recorde e chega a 78,4%

A avaliação do governo federal alcançou um novo recorde de popularidade em setembro deste ano, segundo pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta terça-feira. O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi avaliado de forma positiva por 78,4% da população, contra 77,5% em agosto. É o maior índice desde o início do governo petista, em 2003.

Outros 15,9% avaliaram o governo como regular, enquanto 3,9% o classificaram como negativo.

A avaliação pessoal do presidente Lula se manteve estável em relação ao final de agosto. Entre os 2.000 entrevistados, 81,4% aprovam o desempenho pessoal do presidente, enquanto 12,2% desaprovam. Outros 6,5% não responderam.

Em agosto, o índice de desempenho pessoal de Lula foi de 80,5% e 14,4% de desaprovação. Outros 5,2% não responderam.

A melhor avaliação pessoal de Lula ocorreu em janeiro de 2009, quando o petista foi avaliado de forma positiva por 84% da população. Em 2003, quando Lula assumiu a Presidência da República, a avaliação positiva no petista era de 83,6%.

O presidente da CNT, Clésio Andrade, disse que os sucessivos recordes de popularidade do governo Lula influenciam na dianteira da candidata Dilma Rousseff (PT) nas pesquisas para a corrida presidencial. "Todo esse processo de resultado do governo faz do presidente Lula um pai. E a Dilma acaba sendo vista como uma mãe."

A pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 10 e 12 de setembro em 136 municípios de 24 Estados. A pesquisa foi registrada no TSE sob o número 29.517/2010.

Gabriela Guerreiro
De Brasília

8 de set de 2010

Dois asteroides passarão próximo à Terra nesta quarta-feira, diz Nasa

Do G1, em São Paulo


A Agência Espacial Americana (Nasa) informou nesta terça-feira (7) que dois asteroides em órbitas diferentes se aproximam da Terra, e espera que eles passem nesta quarta-feira (8) perto do planeta. Nenhum deles tem chance de atingir a Terra.

Se calcula que o asteróide '2010 RX30', com dimensões entre 10 e 20 metros, passará a 247.838 km da Terra. O '2010 RF12', com tamanho entre 6 e 14 metros, passará a 78.000 km.Se calcula que o asteroide '2010 RX30', com dimensões entre 10 e 20 metros, passará a 247.838 km da Terra. O '2010 RF12', com tamanho entre 6 e 14 metros, passará a 78.000 km. (Foto: Nasa)

O telescópio Catalina Sky Survey (CSS), situado nas montanhas de Santa Catalina, no Arizona, operado conjuntamente pelas universidades do Arizona e Nacional Australiana, ambas patrocinadas pela Nasa, descobriu os dois objetos no domingo (5).

A Nasa informou que, graças à proximidade, os asteroides poderão ser vistos por observadores amadores, desde que usem telescópios de tamanho moderado.

Se calcula que o asteroide “2010 RX30”, que tem dimensões entre 10 e 20 metros, passará a 247.838 km da Terra às 5:51 AM EDT (9h51 no Brasil). O segundo objeto, denominado “2010 RF12”, com tamanho entre 6 e 14 metros, passará aproximadamente 78.000 km às 5h12 PM EDT (21h12 no Brasil).

4 de set de 2010

20 coisas que a internet está destruindo

Abaixo está uma lista reformulada e adaptada com 20 coisas, entre hábítos e posturas sociais, que a internet está destruindo:

1 - A arte de discordar educadamente
As discussões insignificantes dos iniciantes do YouTube podem não ser representativas, mas certamente a internet aguçou o tom dos debates. O mundo dos blogs parece incapaz de aceitar as diferenças de opinião. E os trolls crescem em cada canto da web.

2 - Medo de ser a única pessoa do mundo não tocada pela morte de uma celebridade
O Twitter se tornou uma tribuna aberta para piadas sobre a morte de pessoas famosas. Algumas de muito mau gosto, mas um antídoto para o “luto” dos fãs que, de outra forma, predominaria.

3 - Ouvir um disco do início ao fim
Os singles são um dos benefícios improváveis da internet. Por um lado, não é mais preciso aguentar oito músicas chatas para poder ouvir uma ou duas que valem a pena. Mas, por outro lado, álbuns que valem a pena terão a audiência que merecem?

4 - Pontualidade
Antes dos celulares, as pessoas precisavam manter seus compromissos e chegar ao restaurante na hora certa. Enviar mensagens de texto cinco minutos antes para avisar os amigos do atraso se tornou uma das grosserias descartáveis da era da conectividade.

5 - Listas de telefone
Você pode encontrar tudo que quiser na internet, com dados muito mais completos do que as antigas e mofadas Páginas Amarelas.

6 - Lojas de música
Em um mundo onde as pessoas não estão dispostas a pagarem por música, cobrar delas R$ 30 por 12 músicas dentro de uma frágil caixa de plástico, definitivamente, não é um bom modelo de negócio.

7 - Memória
Quando quase todo fato, não importa quão obscuro e misterioso, pode ser esmiuçado em segundos através do Google ou do Wikipedia, o “mero” armazenamento e recuperação de conhecimentos em sua mente se tornou menos valorizado.

8 - Concentração
Quem, entre o Gmail, o Twitter, o Facebook e o Google News, consegue trabalhar? Uma nova tendência de distúrbio de concentração que se desenvolve.

9 - Decorar números de telefone
Depois de digitar os números na agenda do seu celular, você nunca mais vai olhar para eles de novo.

10 - Teorias conspiratórias
A internet é constantemente repudiada como dominada por pessoas excêntricas, mas, ao longo dos anos, se mostrou muito mais propensa para desacreditar teorias conspiratórias em vez de perpetuá-las.

11 - Preencher formulários na última página dos livros
O mais próximo disso hoje são os serviços das livrarias virtuais como “Clientes que compraram este livro também compraram…”

12 - Álbuns de fotos e projeções de slides
Facebook, Flickr e sites de impressão de fotos como Snapfish são a nova maneira pela qual compartilhamos nossas fotos. No início deste ano, a Kodak anunciou estar descontinuando a produção do seu clássico filme Kodachrome por falta de demanda.

13 - Depender de agentes de viagens para marcar férias
Para embarcar em uma viagem de férias, não precisamos mais passar obrigatoriamente pelo agente de viagens, que tenta insistentemente vender aquele pacote “imperdível”. Sites especializados montam a viagem dos sonhos dentro do orçamento possível.

14 - Adolescentes ansiosos pela sua primeira Playboy
A onipresença de pornografia gratuita e pesada na internet acabou com um dos mais temidos ritos de passagem para os meninos adolescentes: a compra de revistas de pornografia. Porque tremer na fila para comprar a última Playboy se você pode baixar montanhas de obscenidades direto na sua cama?

15 - Relógios de pulso
Ficar mexendo no bolso para pegar seu celular pode não ser tão elegante quanto olhar para um relógio de pulso, mas é mais econômico e prático do que andar por aí com dois equipamentos.

16 - Artistas ainda não descobertos
Colocar suas pinturas ou poemas online é tão fácil, que os artistas desconhecidos não têm mais desculpas.

17 - Escrever cartas
E-mail é mais rápido, barato e conveniente. Receber uma carta escrita à mão de um amigo se tornou um prazer raro, e até nostálgico. Como consequencia, frases de despedida formais como “Com as melhores saudações” foram substituídas por um simples “Valeu”.

18 - Matar tempo
Quando foi a última vez que você passou uma hora olhando o mundo pela janela, ou lendo novamente seu livro favorito? A atração da internet sobre a nossa atenção é implacável e, cada vez mais, difícil de resistir.

19 - Assistir televisão acompanhado
A internet permite que parentes e amigos assistam os mesmos programas em diferentes horários e em diferentes lugares, acabando com o significado daquele que foi um dos mais atrativos apelos culturais da classe média, a experiência compartilhada. Programas para assistir televisão juntos, se ainda existem, se limitam a eventos esportivos e reality shows.

20 - O intervalo de almoço
Você deixa o seu computador para almoçar? Ou come um sanduíche enquanto responde e-mails pessoais e confere as últimas promoções de passagens aéreas?


Fonte:
http://tecnologia.terra.com.br/

Agora é OFICIAL: STF libera humor em período eleitoral

O Supremo Tribunal Federal (STF) liberou o humor, a sátira e críticas sobre candidatos em programas de rádio e televisão nos três meses que antecedem as eleições. Por seis votos a três os ministros derrubaram incisos da Lei Eleitoral que proibiam a difusão de opinião favorável ou contrária a políticos que concorrem ao pleito e autorizaram o uso de trucagens e montagens que possam ridicularizar os postulantes a cargos eletivos.

Com a decisão, além de programas humorísticos como o Pânico da Rede TV, o CQC da Band e o Casseta & Planeta da Globo ficarem liberados para satirizar candidatos, programas jornalísticos de rádio e televisão poderão defender candidaturas e veicular editoriais – o que era proibido até então.

Durante o julgamento houve unanimidade entre os ministros quanto à liberação do humor e das críticas a candidatos durante o período eleitoral, sem a possibilidade de haver censura prévia. Eles divergiram, contudo, na forma de se aplicar nova norma.

O relator da matéria, Ayres Britto, e os ministros Gilmar Mendes, Ellen Gracie, Cármem Lúcia, Celso de Mello e Cezar Peluso optaram por invalidar os incisos da Lei Eleitoral que traziam as proibições.

Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio Mello e Dias Toffoli, vencidos, queriam aplicar um dispositivo denominado “interpretação conforme a Constituição”. Ou seja, os incisos que proíbem a trucagem, ridicularização e crítica não seriam invalidados, mas se deixaria claro que eles não atingem o humor ou o jornalismo no rádio e na TV.

Fonte: IG

2 de set de 2010

Falha no Orkut permitiu roubo de comunidades durante fim de semana

Uma vulnerabilidade no Orkut permitiu o roubo de comunidades por usuários mal-intencionados no último fim de semana. A brecha estava em uma página do site que permitia a transferência instantânea de uma comunidade de um perfil para outro, sem a necessidade de qualquer ação por parte do dono verdadeiro da comunidade.

Alguns proprietários, temendo serem roubados sem poder fazer nada a respeito, excluíram suas comunidades. A exclusão voluntária dos espaços levou alguns internautas a acreditarem que havia um problema que fazia comunidades sumirem. Um tópico sobre o assunto no site de suporte tem mais de 500 respostas.

O Orkut, rede social mais popular no Brasil, excluiu os perfis de vários usuários que realizaram os roubos, retornando as comunidades aos seus verdadeiros donos. As comunidades excluídas estão sendo restauradas e transferências de comunidades estão bloqueadas.

Procurados pelo G1, a equipe de segurança do Google e o Google Brasil não se pronunciou até o fechamento da reportagem.

O usuário Sérgio – ele não revelou o sobrenome – é dono da comunidade Super Liga de Moderadores, que discute questões pertinentes a proprietários de comunidades do Orkut. Ele explica que o sistema de coproprietários, criado para evitar esse tipo de problema, não foi suficiente para conter os roubos.

“Embora o Orkut tenha criado os coproprietários para que cada dono recupere sua comunidade sem ajuda qualquer do suporte, esse sistema também possui falhas que possibilitam o cancelamento dos links de titularidades”, explica. Ainda de acordo com Sérgio, o suporte foi rápido para atender as solicitações dos usuários.

O estudante Rodrigo Lacerda encontrou as informações técnicas da brecha divulgadas no próprio Orkut. Lacerda não quis explorar e muito menos testar o problema, porque o Google está punindo severamente usuários envolvidos em ataques ao Orkut. “Só de fazer um teste, o perfil já é deletado”, afirma o estudante.

Segundo os dados encontrados por Lacerda, uma página do Orkut, responsável por realizar transferências, não verifica as informações enviadas pelo navegador. Basta especificar os dados (a comunidade a ser transferida) para que a página realize a transferência.

Fonte: G1