30 de jun de 2009

P-SOL ENTRA HOJE COM REPRESENTAÇÃO CONTRA SARNEY NO CONSELHO DE ÉTICA DO SENADO

O P-SOL entra hoje (30), ao meio-dia, com representação no Conselho de Ética do Senado contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). Se aceita pelo colegiado, a investigação poderá resultar em processo de cassação do mandato do senador. O partido entrará também com representação contra o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que já presidiu o Senado e renunciou ao cargo para não perder o mandato.

A representação contra Sarney será entregue pela ex-senadora e atual vereadora em Maceió, Heloísa Helena, que preside o P-SOL, ao lado dos parlamentares do partido: senador José Neri (PA) e deputados Ivan Valente (SP), Chico Alencar (RJ) e Luciana Genro (RS).

Ontem (29), o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), apresentou, individualmente, denúncia contra Sarney no Conselho de Ética. Entre as irregularidades apontadas pelo tucano, estão supostas facilidades concedidas por Sarney ao neto José Adriano Cordeiro Sarney para trabalhar com empréstimos consignados para servidores do Senado.

Quanto à representação contra Renan Calheiros, o líder do P-SOL na Câmara dos Deputados, Ivan Valente, informou que os parlamentares da legenda vão analisar a questão amanhã. “Se der tempo, entraremos também com a representação contra o senador Renan. É bem provável que entremos [com representação] contra ele também.”

Fonte: Agência Brasil

29 de jun de 2009


São Pedro, o Apóstolo e o pescador do lago de Genezareth, cativa seus devotos pela história pessoal. Homem de origem humilde, ele foi Apóstolo de Cristo e depois encarregado de fundar a Igreja Católica, tendo sido seu primeiro Papa.

Considerado o protetor das viúvas e dos pescadores, São Pedro é festejado no dia 29 de junho, com a realização de grandes procissões marítimas em várias cidades do Brasil. Em terra, os fogos e o pau-de-sebo são as principais atrações de sua festa.

Depois de sua morte, São Pedro, segundo a tradição católica, foi nomeado chaveiro do céu. Assim, para entrar no paraíso, é necessário que o santo abra suas portas. Também lhe é atribuída a responsabilidade de fazer chover. Quando começa a trovejar, e as crianças choram com medo, é costume acalmá-las, dizendo: "É a barriga de São Pedro que está roncando" ou "ele está mudando os móveis de lugar".

No dia de São Pedro, todos os que receberam seu nome devem acender fogueiras na porta de suas casas. Além disso, se alguém amarrar uma fita no braço de alguém chamado Pedro, ele tem a obrigação de dar um presente ou pagar uma bebida àquele que o amarrou, em homenagem ao santo.


A festa de São Pedro

Em homenagem ao santo, acendem-se fogueiras, erguem-se mastros com sua bandeira e queimam-se fogos; porém, a noite de 29 de junho não é tão empolgante quanto a animação verificada na festa de São João.

Também se fazem procissões terrestres, organizadas pelas viúvas, e fluviais, pois, como vimos, São Pedro é o protetor dos pescadores e das viúvas. Em várias regiões do Brasil, a brincadeira mais comum na festa é a do pau-de-sebo.

Embora São Paulo também seja homenageado em 29 de junho, ele não é figura de destaque nas festividades desse mês.

28 de jun de 2009

MINISTÉRIO DA SAÚDE QUER AGILIZAR DIAGNÓSTICO DE HIV

O Ministério da Saúde vai atualizar as normas para realização de testes de diagnóstico do HIV. A principal mudança é a inclusão de novas metodologias de testagem do vírus e a ampliação do uso dos testes rápidos – que fornecem resultados em meia hora.

Até 22 de julho, o ministério vai receber contribuições da sociedade em consulta pública sobre a portaria que atualiza as regras para teste de HIV. A estimativa do governo é que existam 630 mil de brasileiros infectados, dos quais 255 mil ainda não se testaram.

A partir de agora, o Sistema Único de Saúde (SUS) deverá utilizar uma tecnologia mais moderna de detecção do vírus, em que o sangue passará por duas testagens, e não três, como acontece atualmente. De acordo com o ministério, a redução do número de etapas não diminui a eficácia dos resultados.

Entre as mudanças também está a utilização de amostras de sangue seco, coletadas em papel filtro – o que permite o armazenamento por até 12 semanas sem refrigeração. As amostras poderão ser enviadas pelo correio, o que poderá ampliar o acesso ao teste em locais distantes dos centros urbanos.

Além dos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs), os testes rápidos poderão ser realizados em laboratórios de pequeno porte e em postos de saúde. A portaria prevê a utilização do método rápido na “rede de serviços de saúde sem infraestrutura laboratorial ou localizada em regiões de difícil acesso”, além de populações flutuantes e em casos de grávidas que não tenham sido testadas até o momento do parto, entre outros.

De acordo com o Ministério da Saúde, em 2008, 36,5% da população do país entre 15 e 54 anos havia feito teste de HIV.

Para participar da consulta pública, é preciso acessar o endereço eletrônico www.aids.gov.br/consultapublica2009.

Por:Luana Lourenço
Repórter da Agência Brasil

PRESOS DANÇAM "THRILLER"


CEBU, Filipinas (AFP) — Mais de 1.500 detentos de uma prisão do centro das Filipinas dançaram neste sábado de macacão laranja ao som da música "Thriller" em homenagem a Michael Jackson, constatou um jornalista da AFP.

Após uma oração em memória do cantor, morto quinta-feira aos 50 anos, os prisioneiros do centro de detenção e reabilitação de Cebu, no centro do país, entoaram algumas músicas do astro antes de executar a famosa coreografia de "Thriller".

Os detentos desta prisão ficaram famosos há dois anos ao publicar sua coreografia de "Thriller" no site YouTube. O vídeo teve 23 milhões de conexões.

"Os prisioneiros estão de luto desde que se inteiraram da notícia da morte de Jackson", relatou Byron Garcia, conselheiro em segurança que idealizou a coreografia. "Eles esperavam que um dia, Michael Jackson viria dançar com eles", acrescentou.

O "Thriller" dos detentos de Cebu, condenados por crimes como assassinato ou tráfico de drogas, se tornou uma atração turística, com muitos visitantes tirando fotos ao lado dos prisioneiros

Fonte: AFP

A GRANDE JOGADA

Às vezes você escolhe o caminho mais improvável. Mas acredita
tanto que pode chegar lá, que acaba mesmo chegando. Sorte,
técnica e persistência: nas páginas seguintes, PODER
revela a história de três empreendedores que driblaram todas as dificuldades
e, como Nilmar, fizeram também o seu golaço

Algumas pessoas enxergam oportunidades que mesmo quem já atua no mercado não vê. Elas conseguem interpretar a realidade de uma maneira peculiar e única e antecipam uma tendência ou movimento muito antes dela ocorrer. E quando essa demanda se torna real, voilá, lá estão elas, sinônimos do nicho, quase com status de marca.

Não que elas necessariamente criem coisas novas, mas, ao perceber novos usos para coisas que já existem, dando uma outra roupagem e todo um conjunto de significações e possibilidades, respondem a um desejo adormecido. E é justamente nesse pulo de gato que pessoas aplicam o conceito mais palpável da inovação. Como a Apple com o iPod. Steve Jobs não inventou os tocadores de MP3. A tecnologia para isso já existia. Mas ao facilitar o uso desses aparelhinhos, tornando-os mais intuitivos a ponto de qualquer mortal conseguir usar, a empresa lançou um produto que se tornou objeto de desejo.

PODER ouviu três histórias inspiradoras de pessoas que, por meio da inovação, conseguiram conquistar seu espaço e desbravaram um mercado que hoje, depois delas, parece muito óbvio.

ANTENA PARABÓLICA
Foi graças a um olhar mais apurado que os dois irmãos Coser, Arri e Jair, da pequena Encantado, na Serra Gaúcha, perceberam uma oportunidade no mercado de alimentação fora de casa: grandes churrascarias em centros urbanos, em locais de intenso fluxo de passagem, com serviços e qualidade diferenciados por um preço fixo. Pode parecer meio banal hoje em dia, mas, até o começo da década de 80, churrascaria era coisa de beira de estrada, de caminhoneiro. E eram raros os restaurantes desse tipo que ofereciam o sistema “espeto corrido”, uma contribuição da comunidade italiana ao jeito gaúcho de fazer e, principalmente, de servir churrasco – mais conhecido como rodízio, popularizado pela dupla.

Aos 14 anos, Arri colocou a mochila nas costas e foi atrás de seu irmão mais velho, o ex-seminarista Jair, que trabalhava em uma churrascaria em Aparecida, a 170 quilômetros da capital paulista. Um dos cinco filhos de um pequeno agricultor, Arri já tinha trabalhado como mascate, trocando sacos de soja por carne e farinha por verdura no mercado de sua cidade natal. Trabalhara também no roçado de propriedade da família, mas queria ir além das fronteiras do Rio Grande do Sul. No interior de São Paulo, onde morou por um ano, lavava pratos e servia mesas.

Observando erros e acertos, os irmãos foram alinhavando o que queriam fazer da vida: ter seu próprio negócio, no ramo de alimentação. Era só uma questão de oportunidade. E não demoraria muito para ela aparecer. Os dois, então, decidiram tentar a vida no Rio de Janeiro, onde moraram por três anos e pensaram em abrir o negócio, que não foi para a frente por causa dos altos custos da capital fluminense.

De férias no Sul, em 1979, Jair foi visitar uma irmã que morava em Porto Alegre. Andando pelo bairro Cavalhada, num eixo de ligação entre as zonas norte e sul da cidade, ele reparou que uma churrascaria recém-inaugurada, a Fogo de Chão, estava à venda. Eles não tinham dinheiro para tanto, mas arrendaram o local com a ajuda do pai – que emprestou metade de suas economias – e de outros dois sócios. Detalhe: Jair tinha 22 anos e Arri, 17. “Éramos quatro sócios e fazíamos rodízio nas funções. Eu preparava o churrasco numa semana, as compras na seguinte, cuidava dos serviços administrativos na terceira, e era maître na quarta. A gente trabalhava muito. Passamos três anos assim e essa foi a melhor faculdade que tivemos, pois pagávamos por nossos erros”, conta Arri, que não cursou mais do que a sexta série do ensino fundamental.

O sucesso entre os gaúchos, público exigente ainda mais tratando de churrasco, veio a galope. E era comum que visitantes de São Paulo pedissem a abertura de um restaurante na capital. Depois de alguns anos, resolveram seguir o conselho da clientela, de olho no potencial de mercado. “Em 1986 íamos abrir a primeira Fogo de Chão em Moema, localizada numa avenida com grande fluxo de pessoas, em São Paulo. Estávamos muito endividados com a obra, mas demos sorte”, lembra Arri. O que ele chama de sorte é conhecido como Plano Cruzado – aquele do ministro da Fazenda Dilson Funaro, que durante o governo Sarney congelou preços, aumentou o poder de compra dos trabalhadores com os gatilhos salariais e terminou provocando desabastecimento geral. Com a falta de carne, os irmãos Coser não sofreram. Graças a conhecidos na fronteira com a Argentina, a Fogo de Chão não só conseguiu atender ao boom do consumo como pôde até vender o próprio excedente. “Não deixamos faltar produto e, mesmo com uma grande demanda, conseguimos manter o serviço e a qualidade.”

“Nosso maior talento sempre foi observar o que havia e antecipar o que aconteceria no mercado”, afirma Arri. “E muitas horas de trabalho”, complementa. Foi assim também que introduziram novidades como o salão com ar-condicionado, a carta de vinhos, o bufê de saladas. E viraram referência da categoria no Brasil e nos Estados Unidos, onde Jair toca 16 restaurantes, mais que o dobro das seis lojas daqui. “Eu não inventei a roda, mas faço ela girar.”

O DONO DA HISTÓRIA
Nada como um desafio para dar o start. No caso do carioca radicado em São Paulo Rodrigo Teixeira foi um ultimato da mãe, que voltou a morar no Rio de Janeiro e deu prazo de um ano para que os dois filhos arrumassem a vida na capital paulista ou voltassem para o Rio. Ele tinha 21 anos e foi trabalhar em um banco de investimentos. Aguentou por oito meses. “Eu era um bom vendedor”, conta, “mas queria trabalhar com cinema.”

Apaixonado por futebol, um dia ele leu na coluna de Juca Kfouri que faltavam boas histórias sobre o esporte. Resolveu que este seria seu primeiro projeto, o Camisa 13, uma coletânea de livros (e, futuramente, documentários) relacionados aos principais times brasileiros. Foi consultar o jornalista, que lhe disse que o projeto era um sonho – mas seria muito difícil concretizá-lo.

Quase dois anos depois, a irmã de Rodrigo, que trabalhava no restaurante Ritz, lhe deu o cartão de Paulo Machline, herdeiro do (extinto) grupo Sharp, que havia rodado o curta- metragem de ficção Uma História de Futebol, sobre Pelé, indicado depois ao Oscar.

Teixeira marcou uma reunião com ele no dia seguinte e não só conseguiu o patrocínio, como também um escritório para trabalhar e um laptop da Apple como prêmio pela ideia. Aos 23 anos, ele havia acabado de ler Estrela Solitária, biografia de Garrincha feita por Ruy Castro e decidiu convidá- lo a escrever a primeira história. Ligou para o escritor e lhe falou sobre o projeto, convocando-o a assumir o livro do Flamengo, seu time de coração. Castro o chamou para ir ao Rio e se espantou com a pouca idade de Teixeira. Ainda assim, o escritor, empolgado com a proposta, aceitou fazer o livro. “Daí perdi o medo de falar com os autores e adquiri mais confiança”, recorda.

No dia seguinte ao lançamento do Camisa 13, a Editora Abril colocou no mercado um projeto semelhante de revistas, que não teve o mesmo sucesso. “Aprendi que o direito autoral, quando endossado por uma grande assinatura, é reconhecido pelo público e vale tanto quanto uma grande marca, como Coca-Cola.” Patrocinado pela Brasil Telecom, o projeto se desenvolveu. Um dos filhotes, a ficção escrita por Mário Prata sobre o Palmeiras, foi vendido para o cineasta Luiz Carlos Barreto e baseou o filme O Casamento de Romeu e Julieta, um sucesso de bilheteria com quase um milhão de espectadores.

A partir da aquisição de direitos autorais, Teixeira criou seu modelo de negócio, o de explorar as histórias em diferentes mídias. Também desenvolvido dentro desse conceito, o filme sobre o jogador de futebol Heleno de Freitas deve começar a ser rodado em 2010, em parceria com o diretor José Henrique Fonseca e Rodrigo Santoro, que será codiretor. “O direito autoral sobrevive à tecnologia, que muda a forma de distribuição, mas não o conteúdo.”

O sucesso, no entanto, não veio sem alguns percalços. Como o sequestro de um dos autores do Camisa 13, o publicitário Washington Olivetto, autor da história sobre o Corinthians ( junto com o jornalista Nirlando Beirão), que vendeu mais de 70 mil exemplares; e a morte de Roberto Drummond, que estava escrevendo a história do Atlético Mineiro. Mais tarde, Teixeira aprendeu que partilhar os riscos com os colaboradores nem sempre é uma boa ideia. “Chamei um time de pessoas e rodei uma série de documentários. A coisa não foi pra frente porque na época isso era inviável. Perdi dinheiro, mas lidar com a frustração de quem acreditou nesse projeto foi pior.” Hoje, ele prefere remunerar os escritores, que, cientes do risco do projeto não vingar, não compartilham o risco, só o sucesso. Pode-se dizer que Teixeira também derrapou por excesso de confiança. Numa ocasião, comprou os direitos do Noites Tropicais, de Nelson Motta, por dois anos. A ideia era organizar um festival de jazz. “Eu tive oportunidade de vender o evento, mas resolvi fazer por conta própria e não consegui.” Pra fazer um golaço, às vezes você chuta pra fora – é assim mesmo.

Teixeira foi coprodutor de O Cheiro do Ralo, uma adaptação da história de Lourenço Mutarelli. “Tentamos captar recursos por um ano, em vão, então eu e um pool de pessoas o financiamos. Tivemos a colaboração de todos os profissionais que trabalharam no filme e muitos atores o fizeram até de graça”, conta. “Aprendi que se desenvolvesse os melhores conteúdos, eu teria os melhores profissionais atrelados ao projeto.”

Na seara literária, Rodrigo Teixeira está colocando de pé uma nova coleção – “Amores Expressos”, em que cada um dos 17 autores passou um mês em uma metrópole do mundo com a incumbência de escrever uma história de amor ambientada no local. Teixeira acompanha agora o lançamento dos dois primeiros livros da série: O Filho da Mãe, de Bernardo Carvalho, e Cordilheira, de Daniel Galera. Todos os livros serão lançados pela Companhia das Letras. “Esse projeto me credenciou internacionalmente”, diz, “e penso que essa é uma boa hora para desembarcar nos EUA”.

Durante um show de Mônica Salmaso, em que ela interpretava músicas de Chico Buarque, Teixeira teve outro de seus insights: contos baseados nas letras do compositor, que renderam um longa-metragem, baseado na música “Olhos nos Olhos”; uma proposta de série de TV e dois shows. Difícil mesmo foi o encontro com o compositor, em que o produtor cultural suava de tão nervoso. “O Chico te olha e te derruba. Ele te fita dentro do olho. Comecei a gaguejar. Num determinado momento eu disse que tive a ideia durante um show da cantora. Ele abriu um sorriso porque o link foi imediato. E contou que estava fazendo um livro [O Leite Derramado], baseado numa música, que é “O Velho Francisco”. Fechamos o negócio.”

A santa Nossa Senhora de Fátima que do criado-mudo olha para Teixeira todos os dias é a única superstição desse católico não praticante. “Sorte existe, mas acredito em obstinação. Teve milhões de momentos em que eu poderia ter desistido, mas não desisti.”

A MODA COMO ELA É
Scott Schuman já trabalhava com moda há 15 anos – na área de marketing, vendas, publicidade e representação comercial de novos estilistas como James Coviello e Peter Som. Schuman teve de fechar seu showroom em 2005 e passou a se dedicar a um projeto que há tempo vinha matutando: fotografar a moda usada nas ruas, quase sempre adicionando comentários positivos ou pequenas entrevistas. “Eu sentia que havia muito distanciamento entre as criações dos estilistas e o que eu via as pessoas usando, e achei que esse era um ponto de vista interessante”, conta. “Meu desafio era conseguir capturar com a lente a forma romântica com que enxergava essas pessoas. Superado esse desafio técnico, eu sabia que tinha chance de me sair bem.”

O blog The Sartorialist começou como um hobby em setembro de 2005. E não demorou muito para lhe render frutos. Schuman se tornou referência de fotografia de moda, em especial a de rua, e foi convidado a comentar os desfiles masculinos da semana de moda de Nova York na Style.com, site da Condé Nast, além de colaborar com a famosa revista GQ.

Recentemente, Schuman esteve no Brasil para fotografar a nova campanha do Shopping Cidade Jardim. “Quanto mais você trabalha duro, mais sorte dá. Quando viro uma esquina e vejo uma produção incrível, eu acho que é sorte. Mas isso não valeria de nada se eu não estivesse pronto para fotografar.”

Publicação da Revista: O Poder, por Flavia Galembeck.

GRANDE SÃO PAULO PODE TER TOQUE DE RECOLHER PARA ADOLESCENTES

Sob o argumento de que é preciso proteger jovens e ao mesmo tempo inibir a criminalidade juvenil e até a prostituição infantil, ganha corpo na Região Metropolitana de São Paulo a discussão sobre adoção de um toque de recolher para proibir a permanência nas ruas de adolescentes desacompanhados dos responsáveis, a partir de determinado horário. Já adotada em três pequenas cidades do interior paulista - Fernandópolis, Ilha Solteira e Itapura - e em municípios de pelo menos 13 comarcas de sete Estados, a medida está em estudo em Santo André, Diadema, Guarulhos e Ribeirão Pires e em mais 16 cidades paulistas.

Autor do projeto de lei apresentado na Câmara Municipal de Santo André, Marcos Cortez (PSDB) diz que o objetivo é diminuir o número de ocorrências policiais envolvendo menores. "Nas cidades onde o toque de recolher foi adotado houve quase 70% de queda nessas ocorrências", diz o vereador. Pela proposta, jovens com menos de 18 anos não poderão frequentar locais públicos sem a companhia dos pais, entre a meia-noite e as 6 horas.

Para o vereador Pastor Edmilson (PRB), de Diadema, a intenção é debater o assunto e obter apoio de toda a sociedade e do Conselho Tutelar para que o toque de recolher seja adotado. "Queremos diminuir a violência envolvendo os jovens, em especial os que se encontram em situação de risco, expostos a drogas, álcool, prostituição e vandalismo. Se o jovem está na rua num lazer sadio, no colégio ou trabalho, nada vai mudar para ele." Mesma posição tem o vereador de Ribeirão Pires Edson Savietto (PDT), que quer o apoio do Judiciário para adotar a restrição no município. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

27 de jun de 2009

MAIS DE 240 KM/H

O italiano Tommaso Cestarollo foi condenado após publicar na internet um vídeo em que aparece dirigindo a 240 quilômetros por hora em uma autoestrada e a 160 km/h dentro da cidade, segundo o jornal "Corriere Del Veneto".

O juiz destacou que, ao colocar o vídeo na internet, Cestarollo estava incentivando outras pessoas a quebrarem as leis de trânsito na Itália. Ele pegou cinco meses e 10 dias de cadeia, mas não precisará cumprir a pena, pois a Justiça suspendeu a punição.

O advogado de defesa alegou que seu cliente não podia ser condenado por dirigir em alta velocidade, porque não havia provas de que a leitura que aparecia no velocímetro no painel de controle estava correta

26 de jun de 2009

Filho de Sarney diz haver campanha contra porque seu pai apoia Lula

O deputado Sarney Filho (PV-MA), conhecido como Zequinha Sarney, afirmou nesta quinta-feira (25) que a suposta “campanha” contra seu pai, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), acontece por causa do apoio ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Sarney Filho é pai de José Adriano, que intermediou contratos de bancos com o Senado.

“Tenho certeza que isso se dá porque o presidente Sarney representa dentro do PMDB o apoio ao presidente Lula”, disse o deputado.

O filho do presidente do Senado atacou o jornal "O Estado de S. Paulo", que fez a revelação dos negócios de José Adriano. Para Sarney Filho, o jornal é o “ponta de lança” da campanha contra seu pai.

Sarney Filho disse que era com tristeza que fazia o pronunciamento para defender o filho e disse lamentar que José Adriano tivesse sido envolvido na “disputa política."

O deputado leu a nota divulgada por José Adriano e reforçou que irá usar seu cargo para defender o filho. “Fica aqui a minha revolta, o meu protesto. Fazer a calunia é muito fácil. Jogar essa calunia na mídia eletrônica é muito fácil. Desmentir não vai ser fácil, mas para isso existe o parlamento."

FONTE: G!

24 de jun de 2009

Pecuária na Amazônia terá guia eletrônica para fiscalizar o transporte de animais

Com o objetivo de evitar o aumento do desmatamento provocado pela produção pecuária na Região Amazônica, o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, disse hoje (23) que está sendo elaborado um projeto para a implantação da guia eletrônica de transporte animal. O mecanismo tornará mais eficaz a fiscalização da procedência dos animais e a sua localização. As informações poderão ser obtidas pelos fiscais federais de uma base de dados via satélite.

“O projeto deve estar pronto nos próximos 60 a 90 dias e a fase de implantação até o fim do ano. Então se iniciaria, efetivamente, essa idéia do desmatamento zero”, afirmou.

Segundo o ministro, a guia eletrônica, que mostra de onde está saindo o gado, só será fornecida a pecuaristas que tiverem feito o georreferenciamento - mapeamento exato das terras – de suas propriedades. “Assim, os produtores que estiverem desmatando no Bioma Amazônico não terão mais direito à guia, os frigoríficos não poderão abater [o gado] e o produto não terá permissão para ser exportado”, disse Stephanes.

Além de instrumentalizar as ações para o fim do desmatamento na Amazônia, o ministro disse que também solicitou ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) uma análise de como estão sendo utilizadas as áreas desmatadas. “Com isso, será possível saber se as causas estão relacionadas ao avanço da pecuária, da retirada de madeira, de carvoaria ou assentamentos do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra)”, disse.

Fonte: Danilo Macedo
Repórter da Agência Brasil

22 de jun de 2009

CONFIRA COMO A COPA DE 2014 AGITARÁ MERCADO DE TRABALHO NO BRASIL

Não são somente os membros da comissão técnica, juízes e os jogadores que terão a oportunidade de impulsionar suas carreiras durante a Copa do Mundo de 2014, que acontecerá aqui no Brasil. Longe dos gramados, a estimativa é de que vagas de emprego sejam criadas, e não são somente nas cidades que sediarão o campeonato mundial.

Para se ter uma ideia da grandiosidade do evento para o mercado de trabalho nacional, uma pesquisa realizada pela FGV Projetos, a pedido da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), revelou que a Copa do Mundo de 2014 deverá gerar 3,6 milhões de empregos no Brasil.

E esses empregos não devem ser gerados somente no ano da Copa. De acordo com a consultora de Carreira da Catho Consultoria em RH (recursos humanos), Mayra Fragiacomo, agora, cinco anos antes do evento, o mercado de recrutamento já está se movimentando, estimulado pelas empresas brasileiras.

Antes

A movimentação tem sido mais forte em duas áreas: construção civil e marketing. No primeiro caso, os motivos são óbvios, já que o Brasil não quer fazer feio durante o evento, apresentando estádios em condições precárias.

"Há um grande movimento em construção civil, em infraestrutura, que tem de estar pronta o quanto antes. O movimento não é só de contratação de mão-de-obra menos qualificada, mas de executivos, como gestores de obra, que são cargos mais estratégicos", explicou Mayra.

E erra quem pensa que a infraestrutura se resume aos estádios: "é preciso pensar fora da caixa", ressalta a consultora. O que ela quer dizer é que existe toda uma gama de serviços que está por trás dos holofotes e dos gramados, como hotéis e restaurantes. Uma grande rede de hotéis, exemplifica, já está contratando mão-de-obra para construir unidades novas em cidades-sede.

Além da construção civil, outra área que já está agitada para a Copa é a de marketing focada em esportes. Essa era uma área que já estava aquecida, mas que teve um "agito" fora do comum por conta do campeonato mundial.

"Esse é o momento de plantar, para colher lá na frente", afirmou a consulta. Por isso, muitas empresas já estão procurando eventos e jogadores para patrocinar, com o objetivo de estreitar relacionamentos e, no momento da Copa, ganhar mais visibilidade. A concorrência para conseguir tudo isso vai ser grande e já é preciso escolher no mercado os profissionais mais preparados da área de marketing.

Durante

Depois de montada toda a infraestrutura e de iniciado o campeonato, entram em campo os profissionais que lidarão com a organização do evento: seguranças, guias turísticos, garçons, camareiras e demais profissionais de menor qualificação serão bastante demandados.

De acordo com Mayra, muitas pessoas falam que a Copa gerará empregos "pontuais e temporários", o que está errado quando se estende a afirmação para todos os tipos de emprego. Isso é verdade quando se fala em empregos de menor qualificação, que têm relação direta com o funcionamento do evento.

E esses profissionais, dependendo do desempenho mostrado durante o campeonato, podem sim conquistar uma vaga no mercado de trabalho. "Alguns serão absorvidos, mas outros não", ponderou a consultora.

Depois

Dependendo de como a imagem do Brasil ficar depois da Copa do Mundo de 2014, pode-se ter certeza de que dois mercados sairão mais aquecidos: o de comércio exterior e turismo, de acordo com Mayra.

É fácil de notar isso: se uma empresa percebe que um evento organizado mundialmente por um país foi brilhante, passa a confiar mais nele. Com isso, as companhias desse país ganham mais visibilidade e o número de negócios com o exterior cresce, o que é bom para os profissionais que atuam nessa área.

E aí surge a resposta para o motivo de Mayra pensar que a Copa não gera só empregos temporários: você acha que uma empresa demitiria um profissional estratégico que a ajudou a passar uma boa imagem durante a Copa e que, por isso, movimentou o número de negócios?

FONTE: matéria publicada por Flávia Furlan Nunes - InfoMoney

21 de jun de 2009

MICROEMPRESAS FABRICAM SACOLAS RETORNÁVEIS PARA PÚBLICOS CONSCIENTES

Uma microempresa nacional, sediada em Guarulhos, na Grande São Paulo, se dedica desde 2006 a fabricar sacolas retornáveis para companhias brasileiras que utilizam esse produto em eventos, em substituição às sacolas plásticas. A produção mensal da empresa é de 50 mil sacolas reaproveitáveis.

O presidente da Ideia&Costura, Edizan Dias da Silva, disse que a empresa atende a redes de supermercados de menor porte com sacolas cujas características são diferenciadas pelo tecido de melhor qualidade e pelo melhor acabamento, destinadas a um público mais exigente.

“Nós percebemos que existe uma dificuldade muito grande de aceitação por parte dos comerciantes para colocar isso na frente do caixa. Porque eles querem adquirir essa sacola e ganhar dinheiro sobre a comercialização. Não existe a preocupação de eliminar a sacola plástica. Mas, de ter um item a mais na cadeia e que ganhem dinheiro com isso”, criticou.

O preço de venda ao consumidor das sacolas retornáveis, muitas vezes utilizando um tecido de menor qualidade, chega a ser três vezes maior do que o preço cobrado pelo produtor, disse Dias da Silva.

“Não existe ainda, pela nossa percepção, uma consciência de eliminação de um material que é prejudicial ao meio ambiente”. O público atendido pela Ideia&Costura já tem uma noção maior sobre a importância da ecologia. Edizan Dias da Silva avaliou, por outro lado, que há um desinteresse muito grande, em especial por parte das pessoas de renda menor.

Outra empresa nacional de pequeno porte que se dedica à fabricação de sacolas retornáveis é a RPM Confecção de Acessórios e Artigos Têxteis, localizada na capital paulista. Por meio de parcerias com organizações não governamentais ligadas ao meio ambiente, a proprietária, Rosana Damilakos, desenvolveu há dois anos a marca EcoCiente. São sacolas feitas em tecido cru ou tecidos de matéria-prima reciclável, “para lembrar a preocupação com a questão da sustentabilidade”. Outra marca da empresa, denominada EcoStyle, trabalha com o segmento da moda.

Rosana Damilakos disse que o importante não é a sacola ser de uso permanente “e, sim, a atitude da pessoa na hora de fazer a compra. Não adianta você ter uma sacola de tecido cru e, na hora de efetuar a compra, pegar uma sacolinha plástica”, argumentou. A empresa RPM é atacadista e tem 98% dos clientes entre pessoas jurídicas. Seus produtos são distribuídos desde o Acre até o Rio Grande do Sul.

A empresária afirmou, porém, que esse dado não representa uma conscientização por parte da população para a conservação do meio ambiente. “Ainda não está havendo conscientização por parte do consumidor final brasileiro. São pouquíssimos”. Ela acredita, contudo, que a tendência é de crescimento do uso de sacolas duráveis no Brasil.

Para Rosana, o governo não deve se limitar a fazer campanhas de incentivo ao uso de sacolas retornáveis. “Mais do que isso, ele [governo] deveria proibir o uso do plástico. A sacolinha plástica deveria ser vendida. Aí, ninguém vai querer gastar”.

FONTE: Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil


Programa BNB de Cultura será implantado em Grajaú e região

Para incentivar o desenvolvimento da cultura no município de Grajaú e região, foi realizado por meio da secretaria de Indústria, comércio, turismo, trabalho, emprego e renda e pela secretaria de Cultura, o Seminário sobre o Programa BNB de Cultura - Edição 2010 em parceria com o BNDES. A finalidade do programa do Banco do Nordeste do Brasil em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social é patrocinar projetos de cultura no campo da literatura, música, artes cênicas, artes visuais, audiovisual e artes integradas entre outras.

São R$ 6 milhões de reais para incentivo da cultura nordestina disse o Sr. Anastácio Braga, gerente do Centro de Cultural Banco do Nordeste - Cariri, Ceará em sua exposição sobre o programa aos 80 representantes de entidades que trabalham com a cultura, profissionais da arte, professores de arte das várias escolas presente no município e membros do conselho municipal de cultura de Grajaú.

Entre os presentes estavam o agente de desenvolvimento do BNB, Sr. Sebastião Almeida Sales, Albertina Oliveira Albuquerque, secretária de Educação e Cultura de Jenipapo dos Vieiras, Juraiza Rocha Brilho, secretária adjunta de Educação de Barra do Corda, o vice-prefeito de Grajaú, Antonio Matias, o secretário de Indústria, comércio, turismo, trabalho, emprego e renda, José de Simas Lima (Zé do Dimas), Rosa Soraida, secretária de Cultura, uma comitiva de Barra do Corda com 20 pessoas e outra de Jenipapo dos Vieiras com 8 pessoas.

Anastácio explicou todo regulamento para inscrição de projeto que pode ser feito por pessoas jurídicas, como pessoas físicas, contando que as mesmas venham desenvolvendo atividades no campo da cultura. Falou das linhas de atuação que abrange o programa, sobre a seleção dos projetos, destinação de recursos, prestação de contas, contratação, habilitação de projetos e contrapartidas ao programa BNB de Cultura - Edição 2010. Após a explanação houve vários questionamentos dos presentes.

Para o secretário Zé do Dimas, a iniciativa que partiu de sua secretaria em parceria com a secretaria de cultura, vem mostrar o compromisso que o governo municipal tem para com a cultura da região. "nossa secretaria deseja apoiar e ao mesmo tempo buscar incentivos para melhorar o desenvolvimento do nosso município, não só no campo da cultura, mas em todas as áreas que merecem atenção do governo municipal" afirmou Dimas.

"temos entidades e pessoas preparadas para se escrever no processo de seleção do programa e as que têm algumas situações pendentes, a secretaria irá se empenhar para ajudar na regularização e assim garantir a participação de todos" disse Maria Cléa, assessora da secretária de cultura, questionada por nossa reportagem sobre as entidades e pessoas habilitadas em Grajaú para participar do programa.

As inscrições de projetos serão de 29 de junho a 24 de julho de 2009 e os resultados em 30 de outubro de 2009. Regulamentos e formulários e outras informações encontra-se no site do Banco do Nordeste, no endereço: www.bnb.gov.br.

O seminário aconteceu no salão da Grota da Luz "Frei Alberto Beretta" na tarde desta quarta-feira, 17.

FONTE: Nóticia publicada no Site Grajaú de Fato

WCG - World Cyber Games


O torneio de jogos eletrônicos World Cyber Games (WCG) chega a São Paulo neste fim de semana, com disputas em "Guitar hero: world tour" (Xbox 360) e "Fifa 09" (PC).

A etapa vai acontecer na loja Samsung Experience, no Morumbi Shopping, e vai classificar os dois primeiros colocados em cada jogo para a final nacional, que acontece em setembro, também em São Paulo.

Os jogadores podem se inscrever no site oficial do evento e escolher um dos jogos disponíveis. As disputas de "Counter-Strike" (tiro) e "Trackmania" (corrida) vão acontecer em São Paulo a partir dos próximos finais de semana.

A WCG 2009 já passou por Florianópolis (SC), e também terá etapas em Recife e Belo Horizonte. Os jogadores que vencerem a final nacional, em setembro, ganham vaga para o mundial na China, em novembro.

Em 2008, os brasileiros voltaram do mundial na Alemanha com uma medalha de bronze no jogo "Carom 3D". Com o resultado, o Brasil ficou com sua pior campanha na competição desde 2004.

World Cyber Games Brasil 2009 - Etapa São Paulo (SP)

Endereço: Av. Roque Petroni Jr., 1089

Horário: Sábado e domingo, a partir das 14h

Modalidades: "Guitar hero world tour", "FIFA 09"

19 de jun de 2009

Jornalismo cai em vazio jurídico

OAB diz que acabar com obrigatoriedade do diploma no jornalismo foi “erro” do Supremo

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, classificou hoje como "um erro de avaliação” a decisão do Supremo Tribunal Federal que declarou inconstitucional a exigência obrigatória de diploma para o exercício da profissão de jornalista.

Segundo Britto a independência e a qualidade necessárias ao correto trabalho jornalístico são “obtidas somente com diploma e com o registro no Ministério do Trabalho. O primeiro garante a qualidade técnica e o segundo a qualidade ética.”

Britto argumentou ainda que a legislação vigente até então já garantia reserva de mercado para outros profissionais atuarem na imprensa, por meio das figuras do colaborador e do articulista. "A decisão do STF, na minha compreensão, não observou corretamente qual é o papel do jornalista e a sua função na defesa da liberdade de expressão", afirmou o dirigente da OAB.

Fonte: Marco Antonio Soalheiro
Repórter da Agência Brasil

17 de jun de 2009

DISPERDÍCIO DE MADEIRAS


Tecnologia desenvolvida no Maranhão aproveita a serragem para criar material de construção, evitando o desperdício de madeira

Ressaltando sua trajetória política de mais de 50 anos, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), defendeu-se há pouco das acusações de que teria usado atos secretos para nomear parentes. Num discurso duro, Sarney afirmou que não é culpado da crise administrativa e institucional que vive o Senado.

“Ao longo da minha vida não tenho feito outra coisa senão louvá-la [a instituição]. Não seria agora, na minha idade, que eu iria praticar ato menor que nunca pratiquei na minha vida”, afirmou Sarney do plenário do Senado.

“A crise do Senado não é minha, é do Senado e essa instituição que devemos preservar. Ninguém tem mais interesse [de resolver] do que eu. Estou há quatro meses com presidente da Casa e praticamos atos buscando corrigir erros, e resgatar o conceito da Casa. Mas isso não é feito do dia para noite, até porque isso não é o meu estilo”, discursou o presidente do Senado.

Segundo ele, as notícias de existência de atos secretos na Casa só surgiram porque a própria Mesa Diretora decidiu investigar. Sarney afirmou ainda que as notícias contra ele são injustas, e que as irregularidades do Senado não são dessa administração, mas sim das passadas. “É uma injustiça do país julgar um homem como eu”, disse.

“Não sei o que é ato secreto, mas se eles existiram, nós não temos nada que ver com isso. Hoje, tudo está na rede”, afirmou Sarney.
Brasília - Ressaltando sua trajetória política de mais de 50 anos, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), defendeu-se há pouco das acusações de que teria usado atos secretos para nomear parentes. Num discurso duro, Sarney afirmou que não é culpado da crise administrativa e institucional que vive o Senado.

“Ao longo da minha vida não tenho feito outra coisa senão louvá-la [a instituição]. Não seria agora, na minha idade, que eu iria praticar ato menor que nunca pratiquei na minha vida”, afirmou Sarney do plenário do Senado.

“A crise do Senado não é minha, é do Senado e essa instituição que devemos preservar. Ninguém tem mais interesse [de resolver] do que eu. Estou há quatro meses com presidente da Casa e praticamos atos buscando corrigir erros, e resgatar o conceito da Casa. Mas isso não é feito do dia para noite, até porque isso não é o meu estilo”, discursou o presidente do Senado.

Segundo ele, as notícias de existência de atos secretos na Casa só surgiram porque a própria Mesa Diretora decidiu investigar. Sarney afirmou ainda que as notícias contra ele são injustas, e que as irregularidades do Senado não são dessa administração, mas sim das passadas. “É uma injustiça do país julgar um homem como eu”, disse.

“Não sei o que é ato secreto, mas se eles existiram, nós não temos nada que ver com isso. Hoje, tudo está na rede”, afirmou Sarney.

Fonte: Ivan Richard
Repórter da Agência Brasil

LULA CRITICA SEQUÊNCIA DE DENÚNCIAS SOBRE O SENADO

Astana (Cazaquistão) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou hoje (17) a sequência de denúncias de irregularidades no Senado. “Elas não têm fim e depois não acontece nada”, disse. Em viagem ao Cazaquistão, Lula comentou o discurso feito ontem (16) pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que se defendeu das acusações de usar atos secretos para nomear parentes na Casa.

“Não li a reportagem do presidente Sarney, mas penso que ele tem história no Brasil suficiente para que não seja tratado como se fosse uma pessoa comum.”

O presidente Lula afirmou que é importante investigar o que houve, inclusive para saber a quem poderia interessar desestabilizar o Senado. “Essa história tem que ser mais bem explicada. Não sei a quem interessa enfraquecer o Poder Legislativo no Brasil. Mas penso o seguinte: quando tivemos o Congresso Nacional desmoralizado e fechado foi muito pior para o Brasil, portanto é importante pensar na preservação das instituições e separar o joio do trigo. Se tiver coisa errada, que se faça uma investigação correta.”

Ele disse também que o governo não teme ser prejudicado pelas denúncias sobre o Senado. “Todos os senadores, a começar do presidente Sarney, têm responsabilidade de dirigir o destino do país, ou seja do Congresso Nacional, vamos esperar que essas coisas se resolvam logo”, acrescentou.

Para o presidente, as denúncias podem acabar cansando a população. “O que não se pode é todo dia você arrumar uma vírgula a mais, você vai desmoralizando todo mundo, cansando todo mundo, inclusive a imprensa corre o risco. Porque a imprensa também tem que ter a certeza de que ela não pode ser desacreditada porque, na hora em que a pessoa começar a pensar 'olha, eu não acredito no Senado, não acredito na Câmara, não acredito no Poder Executivo, no STF, também não acredito na imprensa', o que vai surgir depois?”, questionou.

Fonte: Mônica Gugliano
Enviada Especial da EBC


15 de jun de 2009

ATOS SECRETOS: NOVOS CASOS COLOCAM EM XEQUE FORÇA DE SARNEY


O colunista do UOL em Brasília, Fernando Rodrigues, fala sobre os escândalos que continuam a aparecer no Senado; saiba mais no blog do Fernando Rodrigues: http://uolpolitica.blog.uol.com.br ; confira dos casos de desvio de conduta no Congresso no Monitor de Escândalos do UOL: http://noticias.uol.com.br/escandalos-congresso ; visite o UOL Notícias: http://noticias.uol.com.br

LABORATÓRIO VAI TESTAR VACINA CONTRA GRIPE SUÍNA


Chega a 154 o número de brasileiros com o vírus da gripe suína. Os dois casos confirmados nesta sexta-feira (12) foram de pessoas que contraíram a doença no exterior

ENEM RECEBE MAIS DE 90 MIL INSCRIÇÕES NO PRIMEIRO DIA

Até as 15h30 desta segunda-feira (15), primeiro dia para as inscrições no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), edição 2009, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou ter recebido mais de 90 mil inscrições por meio do site.

O estado de São Paulo liderava no horário o número de inscrições (19.338), seguido por Bahia (10.001), Minas Gerais (8.286) e Rio de Janeiro (6.894).

O Inep, instituto vinculado ao Ministério da Educação (MEC) e responsável pela elaboração do exame, estima que, no total, sejam feitas sete milhões de inscrições até 17 de julho, quando terminam as inscrições de quem está concluindo o ensino médio. Essa estimativa leva em conta os concluintes do ensino médio, os matriculados nos cursos de Ensino de Jovens e Adultos (EJA) - o antigo supletivo - e o número de egressos que se inscreveram no ano passado.

As inscrições para o Enem começaram nesta segunda-feira às 8h. A prova, com 180 questões de múltipla escolha e uma redação, será aplicada nos dias 3 e 4 de outubro.

Fonte: G1

Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa

O dia 15 de junho marca o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa. A data foi instituída em 2006, pela Organização das Nações Unidas(ONU) e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa.

O objetivo da data é, segundo o Conselho Nacional dos Direitos do Idoso(CNDI), criar uma consciência mundial, social e política da existência da violência contra a pessoa idosa, e, simultaneamente, disseminar a idéia de não aceitá-la como normal.

A Defensora Pública do Estado, Coordenadora do Núcleo de Defesa do Idoso e Portador de Necessidades Especiais, Sara Melo, que está participando do Projeto Denunciar organizado pela SASC e acontece nos dias 15 e 16 de junho, na cidade de Teresina, proferirá palestra cujo tema é Crimes Praticados Contra Pessoas Idosas e penalidades aplicáveis, bem como participará de mesa redonda juntamente com a Delegacia de Proteção e Defesa do Idoso e Ministério Público do Idoso.

IMIGRANTES E POBRES NÃO SÃO RESPONSÁVEIS POR CRISE, DIZ LULA

15062009G00013.JPG

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira (15) no Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) que "nem os imigrantes nem os pobres são responsáveis pela crise". "Os responsáveis são os mesmos que por anos ensinaram como gerenciar o Estado."

O presidente voltou a criticar os países ricos: "Essas mesmas pessoas que nos ensinaram viram que agora não sabem mais nada, não sabem nem explicar como davam tanta aula." Lula atacou ainda aqueles que "promoveram e defenderam o sistema e agora não sabem como explicá-lo nem como tirar o mundo da crise na qual o mergulharam".

Lula defendeu uma nova ordem econômica mundial, que recompense a produção e não a especulação, além de ter ressaltado a necessidade de defesa dos direitos dos pobres.

"Como dirigente de um país em desenvolvimento, espero que da crise surja uma nova ordem internacional que recompense a produção e não a especulação", afirmou o presidente do Brasil.

"Esta nova ordem também deve respeitar as normas meio ambientais viáveis e transformar o comércio internacional em um instrumento de desenvolvimento para uma distribuição mais justa da riqueza", completou Lula.


14 de jun de 2009

GREENPEACE ALERTA SOBRE AQUECIMENTO GLOBAL




Queimadas e desmatamento fazem do Brasil o quarto maior emissor de poluentes no mundo, alerta Greenpeace. Agricultures já sentem reflexos do aquecimento global

ENEM 2009


As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), edição 2009, começam na próxima segunda-feira (15) e serão feitas somente pela internet, a partir das 8h. O prazo vai até 17 de julho para quem está concluindo o ensino médio.

A prova, com 180 questões de múltipla escolha e uma redação, será aplicada nos dias 3 e 4 de outubro.

O candidato deve preencher o cadastro de inscrição, no site www.mec.gov.br/enem , enviar os dados e verificar se a transferência foi concretizada, mediante confirmação por mensagem de retorno a ser enviada para o e-mail informado nesse cadastro.

Na sequência, os estudantes de escola pública que estão concluindo o ensino médio devem imprimir o comprovante de inscrição. Por sua vez, aqueles que concluirão o ensino médio em escola privada devem imprimir o boleto para pagamento em qualquer agência bancária (o valor é de R$ 35) ou solicitar isenção da taxa de inscrição.

Os comprovantes de inscrição dos candidatos que ainda não concluíram o ensino médio estarão disponíveis, após efetivação, até 24 de julho no site de inscrição.

Candidatos que já finalizaram a escolarização básica em anos anteriores e interessados na certificação do ensino médio terão um prazo maior para inscrição. Neste caso, o prazo de inscrição vai até 19 de julho. O procedimento é semelhante ao dos concluintes do ensino médio. Também é possível pedir isenção de taxa.

Os comprovantes de inscrição desse grupo estarão disponíveis, após efetivação, no endereço eletrônico em que foi processada até 31 de julho.

Reitores de universidades federais e o Ministério da Educação (MEC) definiram formas de adesão das instituições ao novo Enem.

Há quatro possibilidades: o Enem como fase única; como primeira fase; como fase única para as vagas ociosas, após o vestibular; ou combinado ao atual vestibular da instituição. Neste último caso, a universidade definirá o percentual da nota do Enem a ser utilizado para a construção de uma média junto com a nota da prova do vestibular.

O candidato deve conferir como a instituição de ensino superior que está interessado usará, ou não, a nota do Enem. Confira a posição das universidade federais.

A nota do Enem continuará sendo usada neste ano na nota da primeira fase da Fuvest e poderá representar até 20% do total da nota da primeira fase. Já a Unicamp estuda não considerar a nota do Enem em seu vestibular deste ano.

Fonte: G1