20 de out de 2010

Serra é agredido em pancadaria entre militantes no Rio

Em caminhada em Campo Grande, bairro da zona oeste do Rio de Janeiro, o candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra, foi hostilizado por militantes do PT, que vestiam camisetas e portavam bandeiras do partido. Houve grande confusão e Serra chegou a ser atingido na cabeça por um objeto. Uma repórter de Rede Globo também foi atingida na cabeça por uma pedra. Militantes do PSDB e do PT trocaram xingamentos e agressões sem que houvesse interferência da polícia. A caminhada tucana teve que ser interrompida.

“São tropas de assalto do PT. Isso é próprio de movimentos fascistas. Isso é uma tropa de assalto. Lembram-se das tropas de choque dos nazistas? Isso é típico de movimentos fascistas, como eles são”, disse Serra dentro de uma farmácia, onde se refugiou enquanto esperava a multidão se acalmar.

Quando saiu da farmácia, o candidato decidiu enfrentar as dezenas de manifestantes petistas que aguardavam à porta, em meio a militantes de seu próprio partido. Ele fez "45" com as mãos (o número de seu partido) enquanto ouvia palavrões. Um manifestante chamou Serra de "f.d.p" e Serra revidou o xingamento.

Foto: Agência OGlobo

Após ser atingido, candidato entrou em uma van de sua comitiva

Segundo os militantes do PT, a manifestação não foi planejada por causa da visita de Serra. “Nossa militância marca ponto no calçadão de Campo Grande todos os dias”, disse Edson Alves, 50 anos, que disse ser filiado ao PT há 30 anos. De acordo com outro petista que estava ao seu lado, um militante do PSDB agrediu um dos manifestantes, causando sangramento em seu supercílio. Os militantes do PT gritavam “Serra ladrão, onde está o dinheiro do Paulo Preto?”, outras palavras de ordem e xingamentos. Não houve intervenção da polícia.

Durante a confusão, Serra entrou em vários estabelecimentos para tentar escapar dos petistas. Depois de cerca de 15 minutos de empurra-empurra, o tucano chegou a entrar no seu carro, se dizendo grogue, e permaneceu lá por alguns minutos. Tentou voltar à caminhada e, por fim, se retirou e seguir sua agenda no Rio de Janeiro.

O presidenciável estava acompanhado de seu vice, Indio da Costa, que faz aniversário hoje, e dos ex-candidatos derrotados ao governo do Rio e ao Senado Fernando Gabeira e Marcelo Cerqueira. Questionado, Indio não justificou a escolha do local. Disse apenas que queria comemorar o seu aniversário no Rio.

Atendimento médico

Logo após a caminhada estava agendada uma visita às obras do estádio do Maracanã, na zona norte do Rio de Janeiro. Mas o helicóptero que levava Serra fez um desvio e foi para a Clínica Sorocaba, em Botafogo, zona sul do Rio.

No local, Serra foi atendido durante meia hora pelo médico especializado em cirurgia de cabeça e pescoço, Jacob Kligerman. Segundo boletim médico, Serra foi atingido por um objeto contundente no topo da cabeça, mas não sofreu nenhum ferimento ou hematoma aparente, depois de realizada uma tomografia computadorizada. Mesmo assim, Kligerman recomendou repouso de 24 horas para observação.

Um dos maiores especialistas em sua área, o dr. Jacob Kligerman foi diretor-geral do Inca (Instituto Nacional do Câncer) quando Serra era ministro da Saúde e é seu amigo pessoal desde os tempos em que eram militantes da UNE, chegando a abrigá-lo em sua casa antes de o político partir para o exílio.

Serra chegou à clínica acompanhado pelo candidato derrotado ao Senado Marcelo Cerqueira (PPS), o deputado federal Rodrigo Maia (DEM), o empresário e ex-senador Ronaldo Cesar Coelho e o seu candidato a vice, Indio da Costa (DEM).

Depois do evento, a assessoria de imprensa de Serra divulgou nota afirmando que, por causa do incidente, foi suspensa a programação do candidato no Rio de Janeiro, que previa a participação na festa de aniversário de Indio da Costa.

Fonte: IG

Nenhum comentário: