29 de dez de 2010

Educação do Maranhão é destaque em matéria de O Globo

Matéria publicada nesta segunda-feira (27) pelo jornal O Globo destaca a educação do Maranhão como a que mais avançou em 2009, de acordo com os dados recém divulgados pelo Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa, na sigla em inglês), que analisa o desempenho de estudantes de 15 anos.

De acordo com a reportagem, “pior estado do país em 2006, o Maranhão conseguiu se tornar o que mais avançou em 2009. Na comparação do Todos pela Educação, ganhou 91 pontos em leitura, 71 em matemática e 45 em ciências”.

Entrevistada pela reportagem, a superintendente de Educação Básica da Secretaria de Educação do Maranhão (Seduc), Leuzinete Pereira da Silva, atribuiu essa evolução ao comprometimento dos professores e à boa formação de quem está em sala de aula. “Todos os nossos professores têm graduação, e um expressivo número tem pós. Mas contribuíram também a formação continuada e as aulas de reforço para os alunos”, disse.

O reconhecimento de O Globo ao crescimento da educação maranhense destacou também a estudante do Centro de Ensino Médio (CEM) Paulo Freire, Gabrielle Mendonça, de 16 anos, que ilustrou a matéria, tendo em mãos a redação de sua autoria que representou o Maranhão em concurso promovido pelo Senado.

Para o jornal, Gabrielle Mendonça reforçou que as atividades fora da sala são fundamentais. “As rodas de leitura que minha escola promove motivam os alunos”, afirmou.

De acordo com estudo do Todos pela Educação, o Maranhão, juntamente com São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Amapá, Pernambuco, integra a lista dos estados que conseguiram média acima da obtida pelo Brasil, nas disciplinas analisadas pelo Pisa: leitura, matemática e ciências.

Ao todo, 11 estados tiveram queda em relação a 2006 em uma ou mais disciplinas. A pior média é a de Sergipe, que apresentou queda nas três áreas - perdeu 29 pontos em leitura, 26 em matemática e 24 em ciências.

“Em 2006, Sergipe tinha índices melhores que São Paulo, e agora está como São Paulo em 2006. As mudanças nesse estado e alguns outros resultados nos levam a crer que é mais fácil melhorar em áreas onde as médias eram as piores. Nas regiões onde já eram razoáveis, dar um salto é muito mais complicado”, diz o presidente do Todos pela Educação, Mozart Neves Ramos.

PISA

O Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) é um programa internacional de avaliação comparada, cuja principal finalidade é produzir indicadores sobre a efetividade dos sistemas educacionais, avaliando o desempenho de alunos na faixa dos 15 anos, idade em que se pressupõe o término da escolaridade básica obrigatória na maioria dos países.

Esse programa é desenvolvido e coordenado internacionalmente pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), havendo em cada país participante uma coordenação nacional. No Brasil, o Pisa é coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) “Anísio Teixeira”.

As avaliações do Pisa incluem cadernos de prova e questionários e acontecem a cada três anos, com ênfases distintas em três áreas: Leitura, Matemática e Ciências. Em cada edição, o foco recai principalmente sobre uma dessas áreas. Em 2000, o foco era na Leitura: em 2003, a área principal foi a Matemática; em 2006, a avaliação terá ênfase em Ciências.

Alguns elementos avaliados pelo Pisa, como o domínio de conhecimentos científicos básicos, fazem parte do currículo das escolas, porém o Pisa pretende ir além desse conhecimento escolar, examinando a capacidade dos alunos de analisar, raciocinar e refletir ativamente sobre seus conhecimentos e experiências, enfocando competências que serão relevantes para suas vidas futuras.

Fonte: Jornal Pequeno

Nenhum comentário: