25 de jun de 2010

Júri da 2ª Vara de Grajaú é adiado por falta de promotor

A sessão do Tribunal do Júri Popular marcada para a esta manhã, 23, às 8h30, em Formosa da Serra Negra (termo judiciário de Grajaú), foi adiada pela ausência do promotor de justiça. A nova data agendada é 18 de agosto.

Segundo o titular da 2ª Vara da comarca, juiz João Pereira Neto, que iria presidir o júri, o promotor titular da 1ª Vara, e que atualmente responde pela 2ª vara, adoeceu e não pôde comparecer à sessão. De acordo com o magistrado, a Procuradoria Geral da Justiça não designou um substituto para funcionar no julgamento, apesar de ofício expedido ao órgão.

João Neto ressalta que no ano passado, em outro processo, um júri foi adiado por duas vezes pelo mesmo motivo.

Homicídios

No júri de hoje, Justiniano Alves Barros, o “Caboco”, seria julgado pelos crimes de homicídio contra José Pires de Sousa e Vilaci Pires de Sousa, e lesão corporal gravíssima contra Antonio Pires de Sousa. De acordo com denúncia do Ministério Público, os crimes teriam sido praticados no dia 30 de dezembro de 1991, por volta das 4h, no povoado Forquilha da Velha (Grajaú).

Consta do processo que as vítimas participavam de festa dançante quando José Pires teria quebrado uma garrafa de bebida, momento em que um irmão do réu, Jorge Alves Barros, teria desferido um violento soco no rosto de José. Ato contínuo, Justiniano teria disparado à queima-roupa na cabeça da vítima.

Ainda segundo a denúncia, ao ver o irmão caído no solo, Vilaci teria tentado socorrê-lo. Foi atingido por um tiro no abdômen disparado pelo réu, que teria atingido com um projétil na boca o outro irmão da vítima, Antonio, causando-lhe graves lesões.

Fonte: Imirante

Nenhum comentário: