28 de fev de 2009

Conformismo ou Comodismo


É incrível a capacidade do ser humano em adaptar – se as mudanças, boas ou ruins, que lhe ocorrem, pois bem, em meio a essas mudanças apresenta – se cada vez mais freqüente um sentimento que faz do ser humano uma animal menos racional (O Comodismo). Isso ocorre pelo fato de não mais se questionar o “por que” dessas transformações. Seria melhor então deixar as coisas aconteceram por acaso? O ser humano é dono de suas atitudes e por elas responsável.

O que acontece é que o cidadão deixa, por muitas vezes, de desempenhar seus deveres e valer seus direitos, pois esta tão acomodada com as mudanças impostas por outros, que se julgam detentores de tudo e de todos, que não se importam se é correto ou não.

O medo é o principal vilão dessa história, pois faz com que o cidadão não tenha a audácia pra buscar o que é melhor para si, tendo como conseqüência o conformismo, isso é terrível, pois o cidadão apenas se conforma com coisas que não lhe agradam, mas sua condição é essa ou porque não tem forças, coragem para reverter tudo isso.

É necessário que o homem tenha força de vontade, para valer seus direito e deveres, da maneira apropriada, de modo que venha a somar para o bom e pleno convívio da sociedade. Se deixarmos de expor nossas idéias, desempenhar nossas atividades, com responsabilidades, estaremos sendo cômodos a vontade alheias, as quais fazem – se presentes a toda hora, seja direta ou indiretamente.

Deixar as coisas como estão não irá resolver os problemas, por isso é necessário tomar medidas que possam valer nossas vontades e desejos, Pois nossos objetivos determinam a nossa realidade.

Nenhum comentário: