12 de ago de 2014

Subúrbio de Londres recebe €18,2 milhões para dinamizar utilização de bicicleta

A comunidade de Merton, uma zona que faz a ligação entre o centro de Londres e os seus subúrbios, vai receber €18,2 milhões (R$ 55 milhões), nos próximos cinco anos, para dinamizar e desenvolver a cultura da utilização da bicicleta.
Subúrbio de Londres recebe €18,2 milhões para dinamizar utilização de bicicleta
O financiamento virá do orçamento da Transport for London (TfL), explicou ontem em Lisboa Pip Howson, responsável pelo projecto, durante a conferência What Can You Do for Cycling.
Segundo a responsável, o investimento chega através de um programa denominado Mini-Holland, que pretende transformar parte dos “boroughs”, uma divisão administrativa britânica e que é composta por várias pequenas comunidades, em cidades holandesas – no que toca à mobilidade sustentável, claro.
Pip Howson explicou que vários “boroughs” concorreram a esta financiamento, mas Merton nem sem sequer foi um dos três escolhidos. Assim, Enfield, Kingston e Walthm receberam €39 milhões (R$ 117 milhões) para implementar uma estratégia de desenvolvimento da utilização da bicicleta. Merton e outras quatro comunidades – Newham, Richmond, Bexley e Ealing – ficaram com o restante orçamento, ou seja, os tais €18,2 milhões.
Em Merton, o dinheiro servirá para desenvolver uma a utilização de bicicletas nos arredores de Londres. “Agora há pouca utilização, até porque as Boris Bikes não chegam cá. Mas há um grande potencial”, revelou.
As Boris Bikes, recorde-se, foram lançadas pelo mayor londrino, Boris Johnson, a 30 de Julho de 2010. Elas eram, de resto, uma das suas promessas eleitorais. “As pessoas podem não concordar, politicamente, com ele [Boris Johnson]. Mas sabem que o sistema de partilha de bicicleta foi a sua mais importante medida”, explicou Pip.
Com uma demografia jovem, vários espaços verdes, uma história rica em inovação e um sistema de trânsito que coloca o acento tónico nas chamadas “quiet ways”, Merton tem todas as características para ser uma comunidade ciclista. Até porque o desporto já lhe corre no sangue, uma vez que a comunidade alberga Wimbledon, a meca do ténis.
“O ciclismo  é um meio importante para a regeneração e Merton está envolvida numa estratégia de regeneração”, explicou.
Agora, o plano passa por incentivar os treinos de bicicleta gratuitos, sobretudo para os mais jovens, promover balneários e duches junto aos negócios e empresas, para promover a utilização da bicicleta junto dos trabalhadores, e abertura de inscrições para aprender a lidar com a manutenção dos equipamentos.
Fonte: Green Savers

Um comentário:

João Luiz Pereira Tavares disse...

E enquanto isso... No sério... Em âmbito nacional...

O PRIMORDIAL:

A educação (e a ARTE), como desejava Cristovam Buarque ainda no ínicio desse século com um projeto fabuloso, abortado pelo populista Lula em seu 1º governo, tinha que ter sido PRIORIDADE. Não foi. Eis aí o PeTê.

Sim, é hora de se livrar dos trastes. Mas também dos TRASTES DE suposta ESQUERDA.


E quanto as questões políticas atuais no Brasil, discutidas, só sei que o primordial é o seguinte:

o LULOPETRALHISMO (muitas vezes “esquecido” de crítica dos blogs…):

Lula é um perigo para a volta à normalidade, Lula é o atraso e o prejuízo. Retrógrado, nivelando tudo por baixo. Um homem mentiroso VIGARISTA, PeTralha e Picareta.

Lula é incompetente, e foi incompetente quando apostou naquela mulher ignorante em ECONOMIA cujo nome é Dilma Rousseff.


O PT tem orgulho de se dizer de esquerda (sentindo com essa identificação pessoal uma vaidade de se "acharem"). Mas PT é pseudo-esquerda, certamente. Hipocrisia publicitária e pura propaganda.

O PT (sobretudo o Lulismo) já está fazendo Campanha (infiltrado nos blocos de Carnaval, disfarçado).